28 de fevereiro de 2014

Blog Jesuíta

Os jesuítas faziam parte de uma ordem religiosa católica chamada Companhia de Jesus. Criados com o objetivo de disseminar a fé católica pelo mundo, os padres jesuítas eram subordinados a um regime de privações que os preparavam para viverem em locais distantes e se adaptarem às mais adversas condições. No Brasil, eles chegaram em 1549 com o objetivo de cristianizar as populações indígenas do território colonial. Incumbidos dessa missão, promoveram a criação das missões, onde organizavam as populações indígenas em torno de um regime que combinava trabalho e religiosidade. 

Ao submeterem as populações aos conjuntos de valor da Europa, minavam toda a diversidade cultural das populações nativas do território. Além disso, submetiam os mesmos a uma rotina de trabalho que despertava a cobiça dos bandeirantes, que praticavam a venda de escravos indígenas. Ainda hoje são disseminados valores “Jesuítas (Europeus)” através de discursos preconceituosos quanto a gênero musical, danças etc... Há de se analisar a imposição de culturas que jugamos correta, e esquecemos que as realidades culturais tendem a se metamorfosear e gerar novas tendências, a de se respeitar toda e qualquer manifestação comunitária, principalmente quando falamos em juventude(s). A(s) Juventude(s) possuem identidades, tribos, grupos que devem ser respeitadas, pois os bombardeios midiáticos impõem culturas de massa, independente disso, não podemos fechar os olhos e impor o que achamos correto, pois os valores devem emergir e não serem empurrados de goela abaixo. 

Art. 2o O disposto nesta Lei e as políticas públicas de juventude são regidos pelos seguintes princípios: VI - respeito à identidade e à diversidade individual e coletiva da juventude.

Por Thiago Sanderson