27 de março de 2014

O Descaso da gestão municipal sobre tratamento adequado dos animais soltos na rua e a Saúde dos moradores da área urbana continua.

O cenário de descaso e confusão entre os limites do espaço urbano, tem sido cada vez mais comum na cidade de Macaíba. Caminhando pela cidade, é possível encontrar animais soltos nas ruas, sem qualquer tipo de tratamento e destino adequado, além dos que agonizam nas calçadas dos estabelecimentos comerciais do centro da cidade. 

Assim, segue uma gestão em busca de um novo tempo. Como atingir níveis de desenvolvimento? Quando o município sequer consegue resolver problemas mínimos, que podem beneficiar a saúde e bem estar da população macaibense. 

A equipe do Cidadão Macaibense, vem sendo constantemente chamado para atender as reclamações dos moradores. A imagem fala por se só. Um animal solto em um local, onde deveria existir uma praça para juventude. Obra que nunca foi iniciada, terreno baldio que serve para trânsitos de animais e deposito de lixo. Algo assim, não pode ser considerado um ambiente saudável para o ser humano. A imagem fica ainda pior, quando visualizamos uma Unidade do Programa Saúde da Família bem próximo do cenário de abandono. A quem serve essa gestão? Animais são deixados nas ruas, alguns portadores de doenças, podendo prejudica a saúde da população. 

Mas quem se preocupa com a saúde da população? Ora, uma gestão que abandona seus cidadãos a própria sorte, sem segurança, tampouco, busca resolver os problemas que vive o município, não se pode esperar muita coisa. Enquanto isso, a cidade agoniza diante de tanto descaso e imobilidades das autoridades em tomar providencias para resolver problemas básicos do município. É preciso mostrar a capacidade de gestão, resolver a falta de execução das políticas que atendam o município. Não existe política de organização e planejamento da cidade, parece que falar do Estatuto da Cidade e seus instrumentos de função social, ainda são algo desconhecido na sua aplicabilidade. Infelizmente. O novo Tempo se transformou em Tempo Difícil. O povo quer providência.

Por José Augusto