9 de abril de 2014

Moradores do Vilar (Loteamento Esperança) debatem Transporte Público e outras demandas



Moradores do Vilar

O Cidadão Macaibense participou ontem, terça-feira (08), do encontro de moradores na comunidade e ouviu muitas reclamações e denúncias dos mesmos. A comunidade vive abandonada pelo poder público e carente de políticas públicas na área da Saúde, Transporte e Segurança.

A região está prestes a receber mais 400 casas, e não dispõem de saneamento adequado, os cidadãos que já residem no local sofrem com o caos e se perguntam como ficará a situação se o número de casas vai aumentar.


Saneamento Básico: Algumas ruas não dispõem de calçamento, as estradas de barro são facilmente alagadas com qualquer chuva e juntasse a isso o lixo que se acumula devido a não coleta dos resíduos por parte da empresa responsável no município.

Transporte Público: O desejo dos moradores não e diferente de outras comunidades, um transporte público que atenda os estudantes, trabalhadores e demais cidadãos que precisam caminhar muito para chegar ao centro da cidade correndo o risco de ser assaltado e segundo informações sendo vitimas de tentativas de estupros. Aqui podemos incluir também a Segurança, pois o policiamento no local e pouco, a casos de assaltos a residências que após ligarem para a polícia a mesma demora mais de 2h para chegar ao local.

Saúde: Nesse ponto a comunidade e uma das mais atingidas por problemas de saúde, de um lado temos a PEDREIRA POTIGUAR onde a poeira, segundo moradores, invade as casas causando doenças respiratórias e devido a explosões realizadas na região, aparecem rachaduras nas casas, durante a noite, mesmo não sendo horário de trabalho, os moradores sentem tremores na terra.

De outro lado temos a ESTAÇÃO DE TRANSBORDO onde o aumento de mosquitos e moscas foi percebido por moradores, que se sentem mal na hora da alimentação. Somado a isso, sofrem com falta de água, chegam a ficar quase uma semana sem abastecimento, o número de Agente de Saúde e insuficiente e a comunidade dispõe apenas de um médico.

Ao final da reunião, um GT-Grupo de Trabalho, ficou para dar andamento as demandas tiradas junto ao grupo, entre elas a luta por um Transporte Circular, Segurança da comunidade e Levantamento de dados da região.