20 de maio de 2014

O prefeito de Macaíba poderá usar a mesma tática que os Alves já conhecem e fazer jogo duplo para enganar Henrique?

Em meio à euforia da aproximação dos jogos da copa do mundo, evento que tomará conta de todo o pais, existe outro jogo onde os times começam a montar suas equipes, organizarem suas torcidas e prepararam todo um ambiente para as disputas que se avizinha. Apesar disso, esperando ainda o apito do Juiz para início da partida. Este jogo tem resultados e conseqüências mais significativas, das suas decisões saem resultados que demandam mudanças boas ou ruins para o futuro de toda uma nação.

Este é um assunto do qual o brasileiro  não pode fugir. Então vamos ao assunto. No plano nacional continua o duelo entre o PT com o nome da presidenta Dilma Russeff focado nas melhorias das condições de vida do povo brasileiro, inclusive com as políticas de distribuição de renda. Do outro lado o PSDB com a velha e surrada prática do factóide de escândalo para desqualificar o debate político e não imprimir uma discussão programática para o Brasil continuar mudando.

Corre em terceiro lugar,  o time de Eduardo Campos, do tipo que quando não consegue jogar, compra uma bola e começa a montar outro time desde que não fique de fora, tudo fica valendo, numa  parceria com Marina Silva tentando a duras penas manter viva uma rede, porem sem sustentabilidade. Até o momento, este é o cenário para o início do jogo depois da copa.

No Rio Grande do Norte, as equipes estão se preparando para entrar em campo, mas já é possível observar a escalação para disputa. Vale destacar as principais candidaturas Henrique com a tática de bater um pênalti sem goleiro, buscando levar todos os possíveis oponentes para um único palanque. A tentativa de ganhar por WO. Por outro lado, existe a candidatura de Robinson Faria (PSD) junto com o PT, dos Deputados Fátima Bezerra e Fernando Mineiro.

No jogo treino, um breve aquecimento, recentemente acontecido em Mossoró, as chamadas eleições suplementares. O time do PMDB e companhia, liderado por Henrique Alves, foi o grande derrotado. Este acontecimento deixou muitos apoiadores e eleitores desconfiados. Prefeitos vêem como um mau sinal para o futuro próximo. Seria a candidatura de Henrique capaz de garantir êxito? Como a sociedade avalia um palanque que concentra, entre outros nomes conhecido da política do estado, os nomes de Vilma e Garibaldi juntinhos e misturados?. Vale destacar que nos últimos pleitos travaram as disputas mais acirradas para o governo no RN. O povo não esquece. O acesso às informações ocorre de forma acelerada, a sociedade dispõe das redes sociais que funciona muito bem para refrescar a memória.

Vamos lembrar a situação de Macaíba nesse jogo. Em que posição ficaria o Prefeito Fernando Cunha nesta disputa para Governo do Estado? Como o prefeito jogaria aqui no município? O prefeito já é consagrado com título de obras inacabadas, certo? Sim! Além dos índices de violência que assolam a cidade, somado ao problema da falta de segurança, resultado do Governo Rosalba que ele apoiou. Todos lembram que na eleição para prefeito, Henrique e Garibaldi ficaram com Marília Dias, Não com o F. Cunha.

Agora será ele procurado pelos Alves para marchar junto com Henrique? Será que seu perfil perseguidor e revanchista o fará baixar a cabeça para Henrique, Garibaldi e sua equipe? Será que a rejeição do povo a este palanque pesado com tanta gente levará Fernando Cunha apoiar Robinson? Ainda não se sabe.

Esperto na arte de enganar, é possível que ele divida o time e jogue dos dois lados. Com pessoas de sua confiança no palanque de Henrique e de Robinson Farias. Isso seria muito confortável para Cunha Lima. Pratica adotada pelos Alves no último pleito para governo do RN. Quem lembra? Garibaldi com Rosalba e Henrique Com Iberê apoiado por Vilma. Depois todos Com Rosalba. Naquela ocasião, Alves e Cunhas estavam com Rosalba. Agora dizem que vão salvar o RN. Alguém acredita? Pois é! Por aqui talvez a atitude do prefeito seja embarcar na melhor jogada enganando seus marcadores.

O prefeito de Macaíba poderá fingir entrar em campo montar duas equipes para cada palanque com jogadas combinadas. E o povo? Precisará sair da arquibancada, caso contrário, ingressará como meros expectadores do espetáculo, onde mais uma vez será driblado pelos os interesses das velhas raposas políticas que fazem de tudo para manter-se no poder. Eleitor fique atento que vai começar o “jogo”!

Por Jair Macêdo
Colunista do Cidadão Macaibense