3 de julho de 2014

Macaíba: Começam as mobilizações para debater a Reforma Política

As manifestações de junho do ano passado, quando a sociedade saiu as ruas exigido mais ações dos governos e comprometimento com cidadão de todo o país, reacendeu a necessidade do debate uma reforma política seria, com participação popular.

Naquele momento de 2013, a presidente Dilma Rousseff apresentou a proposta de convocação de um plebiscito para que o eleitorado decida sobre o processo constituinte, específico, destinado a fazer a reforma política. O povo foi às ruas e deu demonstrações claras de que o atual sistema político não representa os desejos republicanos, nem, atende a multiplicidade da sociedade brasileira.

A crise de representação e o descrédito com a política e as agremiações foi um indicador de que este modelo de organização do sistema político não responde as novas demandas da política brasileira. O atual sistema fragiliza os partidos e favorecem praticas fisiologistas e uso do poder econômico, que posiciona os candidatos e partidos reféns de interesses corporativos, atos de corrupção, entre outros males enraizado neste ciclo vicioso instalado na política.

Recorremos a política local para enfatizar a importância de falar sobre o plebiscito da reforma política. Apenas para aclarar de forma mais concreta este tema. Vale lembra que o atual prefeito Fernando Cunha desde que ganhou a primeira campanha mudou de partido varias vezes, quando foi conveniente. Fernando Cunha disputou as eleições de 2000 pelo PDT, depois migrou para o PP, PMDB, PMN e hoje está filiado ao PROS. 

Isto revela que os partidos são legendas que servem apenas para formalizar o registro de candidatura, não existe uma relação destes partidos com a sociedade. Logo, a relação ocorre na figura de um suposto líder salvador que poderá garantir um novo tempo para cidade.

Este ano na semana da independência acontecerá o plebiscito da reforma política em todo Brasil. Em Macaíba os grupos ligados as instituições públicas e movimentos sociais estão organizando seus Comitês. Participe. Por uma constituinte exclusiva e soberana do Sistema Político.