20 de agosto de 2014

Responsabilidades de todos nós

Reflexões - Por Ionara Nunes
Nesses tempos de turbulência política, observa-se todo o tipo de atrocidades midiáticas. O que as pessoas não querem mesmo é parar para pensar sobre suas reais responsabilidades. É fácil culpar os políticos por absolutamente tudo. As deficiências educacionais, as da saúde, as da segurança e as de tantas outras legítimas reclamações do povo. Agora, depois de observar toda essa engrenagem de longe e de perto, afirmo sem medo: a responsabilidade é nossa, isso mesmo, nossa.

É fácil culpar esse ou aquele candidato corrupto por atos de improbidade, lógico, ele já está inserido na máquina podre, mas de onde ele vem? Que valores ele aprendeu? Em que sociedade ele está inserido? Conhecem a lei da oferta e da procura? Pois é, só existem corruptos porque existe demanda, só existem corruptores porque existe quem está disposto a colaborar e disso nenhum cidadão de bem, com exceção dos mínimos que param par discutir tais coisas, quer entender. E sabe por quê? Porque é um assunto enfadonho, desagradável, não queremos nos estressar, falo alguma mentira? Sabem que não... outras vezes, podemos ver as pessoas ditas esclarecidas, reclamando do "atraso do país", que foi às ruas protestar e fez selfies com todo o fervor em nome do Brasil, não querer parar e discutir o que realmente se quer para conter o atraso... educação, dizem uns, saúde, dizem outros, mas quem realmente quer colaborar junto com os professores e com a comunidade da escola pública de seu bairro para melhorar as condições do ensino e a gestão escolar? 

Quem quer deixar a comodidade de sue plano de saúde fraco, ineficiente e precário, para lutar nos conselhos de saúde por uma gestão de saúde melhor e mais digna, pois minha gente, SUS é "coisa de pobre"... eis o pensamento da nossa população...quem luta para ter um transporte público rápido, eficiente, confortável e diversificado, não quer, porque não usa, pois prefere entupir as ruas com seus carros, que são trocados a cada ano por um modelo mais novo e mais bonito, bicicletas? De jeito nenhum, então nada de ciclovias, mas acham o máximo as pessoas irem trabalhar de bicicleta em Amsterdã... 

É minha gente, o buraco é mais, bem mais em baixo... e quem quer realmente lutar por reais melhorias do espaço público, na segurança? Realmente a questão das drogas é absurda, mas alguém cobra melhorias nas polícias e um mínimo acompanhamento e estruturação psicológica desses profissionais? Não... então se a sociedade não está disposta a lutar pelas melhorias mais profundas na raiz da sociedade, a começar pelos nossos valores morais e éticos, como cobrar isso dos políticos? Isso não seria hipocrisia coletiva?