10 de setembro de 2014

E agora José?. O povo sumiu e o Aécio caiu


No atual cenário político quem anda acumulando baixas e rejeições na sua intervenção política é o Senador José Agripino. Alguém duvida? Então vamos fazer um exercício de memória para que o nobre leitor e eleitor entenda o motivo dessa afirmação.

Ao longo do tempo os herdeiros dos períodos mais sombrios da política brasileira, o partido personificado na figura de José Agripino (DEM-RN) Mudou de nome, mesmo assim, a cada processo eleitoral foi perdendo terreno nas corridas eleitorais com saídas de quadros políticos importantes da legenda nacional. A cada eleição o DEM encolhe. Vale lembrar que, atualmente, só existe um governador de estado em todo o país.

Bom! Mas antes de falar da corrida presidencial, vamos lembrar um pouco a trajetória recente dessa velha raposa da política nacional. Parece que tudo que ele toca se desfaz. Quem se lembra do impedimento a reeleição de Rolsalba nessa eleição, na tentativa de salvar o mandato de Felipe Maia?

Uma vez feito a afirmação de que tudo que o Senador toca na política se desfaz. Vamos destacar alguns casos. Em 2008, Agripino/DEM apoiou Micarla de Souza, banida do cenário político com um mandato catastrófico. Em 2010, eleição de governador o DEM tinha o candidato a Vice-Presidente do então candidato Serra-PSDB, fragorosamente derrotados nacionalmente. No RN Agripino Maia apoiou Rosalba do Partido que ele preside o DEM.
Com uma rejeição de 80% o Governo do DEM-RN, agoniza, abandonado pela dupla José Agripino e Felipe Maia. Ambos, numa corrida desesperada barraram a candidatura de Reeleição de Rosalba do seu próprio partido, com objetivo de salvar, prioritariamente o mandato do filho, o deputado Federal Felipe Maia.

Mas, os reveses não param nestes episódios, o Senador José Agripino é o coordenador da campanha do presidenciável Aécio Neves (PSDB), mas uma vez o desastre veio, mas agora  foi antecipado. O candidato do PSDB, segue em queda livre de acordo com as recentes pesquisas. Pela primeira vez em vinte anos o PSDB poderá ficar fora da corrida presidencial. Por essa razão, alguns tucanos começam abandonar o ninho, levando a receita neoliberal para o programa de governo de uma candidata que é mais um embuste da velha política vestida de roupa nova.

Assim, continua a batalha da coordenação nacional da campanha tucana, tendo que bater na no programa da reeleição de Dilma, porem sem seguir para o confronto direto com um PSB tucanizado. Alguns do ninho tucano e a mídia golpista,  descontente com o desempenho de Aécio Neves,  pedem  para que ele renuncie a candidatura e volte para Minas Gerais, onde mais um ninho tucano corre perigo de naufragar. Falta apenas o tio de Aécio informar que o aeroporto está aberto e seguro para pousar.

No mais, segue com seu projeto demotucano cada vez mais distante de lograr êxito na atual corrida presidencial. Agora vamos observar como reage a tucanada com a perda do segundo lugar. E agora José?

Por Jair Macêdo