11 de setembro de 2014

Estrutura Social e Cidadania

Reflexões - Por Ionara Nunes

Ultimamente venho observando a nossa fraca estrutura de cidadania no Brasil. O que noto é que infelizmente minha conclusão não está errada , muito pelo contrário, está absurdamente atual...não gostaria que estivesse, mas está. Vejo o tempo todo pais abandonando seus filhos para serem criados por jogos eletrônicos, programas de televisão, internet.

Ouço também muitos falarem que trabalham muito para dar "uma boa estrutura" aos seus filhos...e por falar em estrutura, observo também que o termo estruturado em nossa sociedade equivale a ter bens. Não sou contra as crianças brincarem com jogos modernos ou terem acesso à informática cada vez mais cedo ou simplesmente as pessoas terem uma vida financeira estável, quero que melhore a cada dia, mas a solidez estrutural de uma pessoa não deve ser baseada em sua renda, pelo contrário, deve ser baseada nos conceitos de respeito, solidariedade, carinho, afeto, tolerância e dignidade, depois vem os bens materiais...noto que não é de hoje que nossa sociedade valoriza o ter em detrimento do ser e vemos complacentemente jovens com boas roupas, bom vocabulário, bem alimentados, sem a menor noção de respeito ao próximo e a si mesmo. 

Também não vejo jovens pobres que com o suor do seu trabalho conseguiram ascender socialmente e financeiramente muito diferentes desse lamentável padrão...estão no mesmo barco, também não vejo isso como privilégio dos jovens, também vejo pessoas idosas utilizarem do mesmo comportamento...o desrespeito está entranhado na nossa cultura, sempre esteve, não é atual...vem desde os primeiros colonizadores...o que vejo com uma certa melancolia é que os valores no Brasil são invertidos, o honesto é idiota, o desonesto é o esperto, o grosseiro é o forte, o tranquilo é o covarde e as vias de diálogo são ínfimas...aliás, não existe diálogo entre as famílias, antes era devido ao autoritarismo reinante, hoje a batalha é perdida para os jogos eletrônicos...

Vejo também com imensa tristeza pessoas idosas que vieram da mais absoluta miséria e melhoraram consideravelmente sua vida financeira agir de forma tão primitiva, pois se casam, o comportamento é de quem não casou, se tem filhos estes não são respeitados, as esposas então...mas mesmo assim formam família...deixando um rastro de dor e sofrimento...isso nunca acabará enquanto a nossa sociedade primeiramente,não cuidar da base, do respeito ao próximo, da ética na vida pública e do valor do ser humano enquanto cidadão e depois cuidar das finanças, pois só assim tanto o ser humano, quanto suas finanças serão melhor geridos para uma vida melhor, uma sociedade melhor, um mundo melhor...