20 de outubro de 2014

Jogo sujo da Globo confirma que delação foi armada

O post publicado há pouco no blog do Camarotti, dizendo que Aécio recebeu o relatório da delação premiada, com “detalhes” do que foi dito por Paulo Roberto Costa, e tentando usar isso como “escudo” contra possíveis ataques de Dilma no debate de hoje, tem cheiro de jogo sujo e cheiro de blefe.

Aécio está com medo. Sabe que mais umas porradas num debate e sua rejeição, que já supera a de Dilma, explode de vez. Mas confirma uma coisa. A delação foi um jogo armado entre os advogados dos ladrões e os tucanos do Paraná, com a possível conivência do juiz Sérgio Moro.

Como é possível Alvaro Dias e Aécio terem acesso a depoimentos de conteúdo secreto, que não foram disponibilizados nem ao Congresso nem à presidenta da república? Que bagunça é esta? Os ladrões da Petrobrás são isso: ladrões.

Qualquer denúncia que eles façam tem de ser provadas. Por isso mesmo é tão irresponsável, por parte do juiz, receber esta delação exatamente no momento mais tenso de uma eleição presidencial. E participar do jogo de vazamentos, legais ou ilegais.

Os ladrões Paulo Roberto Costa e Yousseff estão tentando livrar a cara entrando no jogo político. Com isso, desviam atenção de si mesmos e jogam a culpa nos outros. A denúncia contra um tucano morto, Sérgio Guerra, tem cheiro de armadilha. Está morto, e ninguém liga para ele mais.

Serviu apenas para que os petistas passassem a valorizar a palavra de Costa, e daí a mídia vir com mais vazamentos bombásticos na reta final da campanha.