21 de novembro de 2014

Prefeito aprova na Câmara o Projeto de Lei que autoriza empréstimo de 20 milhões ao BNDES. Será mais uma obra inacabada na paisagem macaibense?

Recentemente, depois da sessão do dia 11 de novembro, o povo de Macaíba ficou perplexo com a iniciativa do Executivo Municipal. O prefeito Fernando submeteu a aprovação da Câmara Municipal  o Projeto de Lei que autoriza o famigerado empréstimo de 20 milhões ao BNDES, com finalidade de construção de um Centro Administrativo para o município. De acordo com as informações que chegaram do parlamento macaibense, a garantia de pagamento sairá do Fundo de Participação do Município (FPM). Aquele que os prefeitos reclamavam que era insuficiente para os municípios. Na 16ª Marcha a Brasília pelos prefeitos em Defesa dos Municípios, realizada em 2013, a Presidente Dilma liberou, no período, uma ajuda extra de 3 bilhões para os municípios do RN, alem da otimização do repasse.

Diante dessa situação, vale chamar a atenção dos nossos amigos webleitores para as seguintes perguntas: Em meio a tantas obras conveniadas, porem inacabadas, alem das que estão subutilizadas, qual seria a prioridade? Houve alguma consulta a população sobre o referido empréstimo? De outra parte, revela a face de grupo de parlamentares submissos aos interesses do executivo, sem o debate aberto com a população, explicando quais são os benefícios desse grandioso projeto.

As autoridades precisam entender que não haverá pleno desenvolvimento se não houver a população, especialmente os mais pobres no centro do projeto. Não há desenvolvimento quando ocorre o sacrifício da maioria para o conforto e privilégios de alguns. Portanto, uma vez aprovado será fundamental o esclarecimento a população de como vai funcionar? A quem é benéfica? O que a cidade ganha com isso?Caso contrário, tomando com exemplo outros grandes projetos na cidade, corre-se o risco de mais um entulho na paisagem urbana, outra historia sem fim, com fortes  consequências, ou seja, endividamento do município, menor investimento e mais empobrecimento da população caso não haja um bom planejamento para obra de tamanho impacto.

Por fim, vale lembrar que o projeto não foi unanimidade na ocasião destoaram da vontade do prefeito os vereadores: Edivaldo Emidio, Silvan e Kátia Senna. Vale lembrar que, a gestão do interesse publico, precede os desejos e vaidades de lideres narcisistas.

Da Redação
Cidadão Macaibense