9 de dezembro de 2014

Contradições Brasileiras

Reflexões - Por Ionara Nunes

Recentemente, no Globo Repórter passou uma reportagem mostrando as belezas e a qualidade de vida da Suécia. Posso dizer que não conheço esse país de perto, mas sempre admirei a forma como as pessoas são tratadas por lá, com certeza com mais respeito que no Brasil. Não vi a matéria, mas no outro dia li vários comentários de quem viu e ficou encantado... uma pessoa falou da licença maternidade e paternidade que juntas chegam a dar mais de um ano, outros falaram do transporte público, outros da educação, da qualidade de vida para os idosos, etc.

Me deparei com uma unanimidade incômoda: todos, sempre comparando a Suécia com o Brasil. Isso realmente me incomoda bastante e vou dizer porquê. A linda Suécia não foi explorada por nenhum outro europeu como o Brasil, não levou para lá uma imensa população escrava e a subjugou por séculos, tampouco fez de suas riquezas vantagens para a coroa, aventureiros e piratas...também não admitiu, como a nossa população admite desde sempre que se viva em mundos tão desiguais e para completar, sempre se investiu em educação de qualidade.

Observo e protesto: a população apoia medidas que visem a redução das desigualdades? Por acaso como são chamados aqueles que precisam de auxílios governamentais? Fala-se das ruas organizadas, das ciclovias e das calçadas bem estruturadas, mas na realidade se algum prefeito ousar mexer em algum ponto da rua para fazer ciclovias a própria população é contra... e essas licenças? Se alguma mulher no Brasil resolver ficar grávida e seu marido resolver tirar a licença, pergunto será que alguém não vai sair gritando: vagabundos! Isso sem mencionar que outros brasileiros quando sabem que existem leis assim na Europa dão apoio, mas quando sabem que no Brasil alguém está querendo implementar ainda tem coragem de dizer: "mas os suecos não são vagabundos como os brasileiros". 

Então caros brasileiros irmãos, diante de tantas contradições, será que devemos nos comparar com a Suécia ou nos espelhar nela? Será mesmo que queremos um país bom para os brasileiros como a Suécia é boa para os suecos? São tantas as contradições...