30 de dezembro de 2014

O que esperar para o Ano Novo?

Reflexões - Por Ionara Nunes

É incrível como 2014 foi intenso, turbulento, uma verdadeira aventura. Começamos como no ano anterior, parecendo que nada iria mudar, mas o que se passou foi um furacão de mudanças, de aventuras, de loucuras, sim, loucuras.

Desde 2013, com as revoltas de junho, notou-se uma mudança de postura da população, indo até as ruas, protestando, cobrando mudanças urgentes e necessárias, mas como somos bem pessimistas, esperava-se que em 2014 o povo se acomodasse perante os jogos da Copa do Mundo.

O que se viu foi na verdade uma mistura de torcida e protesto: "não vai ter copa" foi o que se ouviu maciçamente, mas teve e foi excelente. Claro, muitos escândalos, obras inacabadas, superfaturamentos e tantos outros problemas deram o tom, mas seria ilusão acreditar que faríamos uma copa nos moldes da organização e pontualidade da Alemanha... e por um motivo simples, não somos alemães, nem organizados como eles.

E por falar em Alemanha, que desgraça foi perder por 7x1, mas passa, o grande problema mesmo é que por trás dessa derrota ficou evidente a falta de planejamento e transparência na gestão do futebol, bem, se as outras coisas mais urgentes estão indo mal, não acho ruim que o futebol também esteja, temos que parar de priorizar o secundário e eleger em primeiro plano o básico... não tenho nada contra futebol, mas temos coisas mais urgentes para resolver e planejar. Prefiro ser lanterna em títulos de copa que ser lanterna em educação... na verdade poderia tudo crescer junto...com planejamento dá para fazer...

E não poderia deixar de falar da guerra eleitoral...é, o brasileiro se descobriu um animal político, com toda a sua força e apesar de muitos excessos, ficou evidente o saldo positivo de tudo isso: temos um povo mais consciente, mais vigilante, mais crítico.

O contrário também ocorreu, pois se viu crescer uma onda esdrúxula de conservadorismo em seu pior grau, um transe coletivo de bestialidade, pedidos de intervenção militar, agressões de todos os níveis e ódio, muito ódio. Infelizmente se viu crescer uma onda de analfabetismo político... paradoxal...

Enfim, o que esperar para 2015? Não sabemos, pois ficamos imprevisíveis, absolutamente instáveis...e isso é muito bom...Feliz Ano Novo!