26 de fevereiro de 2015

“Pai Dedé de Macambira” Expoente da Umbanda em Macaíba (Parte I)


José Pedro de Alcântara - (Dedé de Macambira) / Créditos: Folhetim (2006)

Na ultima quinta-feira (19), Macaíba perdeu um dos mais respeitados Babalorixás da região, José Pedro de Alcântara mais conhecido como “Pai Dedé de Macambira”, Dedé tinha 75 anos e era um dos principais representantes das religiões de Matriz Africana na cidade. Nossa equipe buscou informações e curiosidades no Folhetim, jornal que circulava em 2006 na cidade e no Potiguar Noticias por meio do nosso parceiro, o chargista Rômulo Estânrley que é detentor de alguns acervos sobre José Pedro. Iremos abordar sua vida e trabalho em duas partes, hoje (26) completando 7 dias de sua partida, publicamos a primeira, onde abordaremos seu inicio na Umbanda, vida familiar e relacionamento com outras religiões.

“José Pedro herdou o apelido Macambira de seu pai, Sebastião Macambira [...] Admirado pelo carisma, capacidade de resistência contra o preconceito e pelos conhecimentos de sacerdote-chefe de uma religião rica e complexa cosmologicamente, é chamado de “Tuxá”, “Catimbozeiro”, “Macumbeiro” e outros termos cuspidos das entranhas do preconceito e da intolerância.” Folhetim [Nº 10, Macaíba/RN, 10 de Junho de 2006].

Velório de Dedé reuniu familiares, amigos e admiradores (19/02/2015)

Início no mundo mágico da Umbanda
Em entrevista feita pela equipe do Folhetim no terreiro “Centro Espírita Oxum da Cachoeira, fundado em 05 de Março de 1960, Dedé informou que chegou em Macaíba em 1964 e sua iniciação se deu através da Umbanda e não do Candomblé. “A Umbanda é um culto religioso para fazer o bem e não o mal. Só trabalho com gosto, Tenho muita fé em Deus e nos orixás” relatou. Aos 13 anos, através de um Pai-de-Santo baiano, iniciou neste mundo mágico da Umbanda. “Trabalhei com muita gente velha quando era novo. Fui muito perseguido, mas graças a Deus hoje estou aqui, e os outros estão enterrados. Nós, Babalorixás, Mães-de-Santo, cantando vitória, doentes, pulando, dançando e vibrando com os orixás”.

O primeiro terreiro de Umbanda em Macaíba/RN, foi trazido por Raimundo Paulino, há cerca de 50 anos [59 atualmente/2015]. Seu terreiro ficava nas imediações de onde hoje é o Hospital Alfredo Mesquita Filho. Apesar de viver tanto tempo em Macaíba Dedé externou aos entrevistadores que tinha o desejo de ir embora para Manaus “Lá em Manaus vale a pena, fui muito bem recebido”.

Relacionamento com as outras religiões e Pais-de-Santo da cidade
Dedé de Macambira não tinha um bom relacionamento com os evangélicos. Em relação a Igreja Católica ele destacou 3 (três) padres que foram “muito bons na cidade”: Pe. Alcides,  Pe. José Pedro e Pe. Amorim. “Eu não sou contra a Igreja Católica. Meu quarto santo é todo Iansã. Eu acredito em Deus e nos orixás” relatou. Dedé afirmou que nunca sofreu agressão física, nem teve seu espaço sagrado profanado. Dedé relatou ainda na entrevista que todos os Pais-de-Santo da cidade são indiferentes com ele, embora o mesmo seja a favor da criação de uma associação de umbandistas.

O Dedé Pai de Família e a Diminuição dos Terreiros
- Durante toda sua vida trabalhou para cumprir suas obrigações de pai de família. “Criei muitos filhos dos outros; criei dez filhos, fora os meus; aqui é que nem creche”.

- A diminuição dos terreiros preocupou Dedé de Macambira, em 2006 a cidade tinha 10 terreiros de Umbanda, segundo ele isso ocorria por causa do preconceito por parte das Igrejas Evangélicas. “O pessoal católico não é tanto, só é mais o danado desse padre” [O Padre em Macaíba/2006 era o Pe. Julio Cesar]. “Os padres novos são todos cheios de besteira”.

Fonte/Informações: Folhetim - Rômulo Estânrley

Obs: A segunda parte da matéria publicaremos na próxima semana