16 de março de 2015

Protesto reuniu 210 mil em SP; Globo e PM tentam superfaturar público divulgando 1,5 milhão

Com apoio da mídia, a Polícia Militar de Geraldo Alckmin (PSDB) tentou superestimar o público presente ao ato realizado em São Paulo neste domingo (15). Segundo os números oficiais, divulgados com ênfase pela imprensa e, principalmente, pela TV Globo, cerca de 1,5 milhão de pessoas teriam comparecido ao evento realizado na Avenida Paulista.

Coube ao Instituto Datafolha desmentir a informação. Segundo seu levantamento, o número de manifestantes presentes foi cinco vezes menor que o divulgado pelo governo do estado e ficou em cerca de  210 mil pessoas ao longo de todo o dia.

O estudo afirma ainda que no auge da manifestação, o que aconteceu por volta das 16h, o público era de 188 mil pessoas. Na sexta-feira (13), a atuação da PM de Alckmin ocorreu em sentido oposto.

Durante manifestação promovida pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) e movimentos sociais em favor da democracia, a polícia divulgou que cerca de 12 mil pessoas estiveram presentes ao ato, na tentativa de diminuir o evento.

Mais tarde, levantamento do Datafolha demonstrou que 41 mil pessoas participaram da mobilização. Ou seja, o público foi mais de três vezes superior ao apontado pela PM.

Ao longo de todo o dia, a cobertura parcializada da TV Globo, com equipes mobilizadas em praticamente todas as capitais, incentivou a participação dos manifestantes no evento. Outros órgãos de imprensa tiveram o mesmo comportamento. O apresentador Joseval Peixoto, da Rádio Jovem Pan, convocou manifestantes por meio dos microfones da emissora.

Com informações do DataFolha