25 de julho de 2015

Cortesia com o chapéu alheio

Por José A. D. Carneiro.

Na manhã da ultima quarta-feira, (22/07), acordei com um carro de som anunciando inscrições para o Programa Projovem Urbano e mostrando as condições mínimas exigidas para isso. No anuncio, duas coisas me chamaram atenção, a primeira, foi o fato de não citarem em momento algum o Governo Federal, já que esse programa assim como o Mais Educação, Minha casa Minha Vida, Bolsa Família e tantos outros que existem no município são do Gov. Federal realizados sempre em parceria também com os Estados.

A outra coisa que me chamou ainda mais atenção, foi a ênfase feita no recebimento de uma bolsa no valor de R$ 100,00 pelos participantes do programa. O anuncio ficou tão bem planejado que quem houve até acha que é um programa da prefeitura e que ela está “incentivando” os jovens a buscarem aprendizado e qualificação.

Isso mostra novamente que a prefeitura continua fazendo cortesia com o chapéu alheio.

Abaixo segue um pouco do que diz o programa:
Objetivo: Elevar a escolaridade de jovens com idade entre 18 e 29 anos, que saibam ler e escrever e não tenham concluído o ensino fundamental, visando à conclusão desta etapa por meio da modalidade de Educação de Jovens e Adultos integrada à qualificação profissional e o desenvolvimento de ações comunitárias com exercício da cidadania, na forma de curso, conforme previsto no art. 81 da Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996.

Ações:
• Apoiar técnica e financeiramente Estados, Municípios e o Distrito Federal para a oferta e o desenvolvimento de cursos do Projovem Urbano, bem como conceder auxílio financeiro mensal aos jovens atendidos, durante os 18 meses de desenvolvimento do curso, no valor de R$100,00, condicionado a 75% de presença deste jovem nas atividades presenciais e a entrega de trabalhos pedagógicos.

Mais informações podem ser obtidas nesse link do MEC: portal.mec.gov.br