5 de agosto de 2015

Somos muito facilmente iludíveis... sempre

Reflexões - Por Ionara Nunes

Não sou fã de esportes violentos, muito menos da febre do momento, o MMA, mas quando vi a luta da brasileira Bethe Correia e a americana Ronda Rousley e a saraivada de provocações envolvendo ambas, sim as duas se provocaram amplamente, fiquei até de madrugada esperando para ver o desfecho.

Já imaginava, pelo histórico, que a americana levava vantagem, já imaginava, pelas palavras ditas, que se Bethe perdesse, seria muito, mas muito criticada, eu não me enganei na conclusão, infelizmente.

O que continuo vendo mesmo, com pesar, é como os brasileiros comuns se iludem facilmente com demonstrações vazias de "humildade", oh como o povo detesta os "arrogantes"... "ela mereceu perder, foi muito arrogante..." ora, o que o povo não perdoa mesmo é ver alguém querendo desafiar os grandes, os soberanos, alguém que mesmo em desvantagem, acredita em seu potencial e não tem medo de dizer, "estou aqui, estou te desafiando..." já vi isso em diversos setores, na música, na política, nas várias facetas da humanidade... e ah como o povo adora uma campeão "humilde", principalmente se for estadunidense e tiver olhos azuis...infelizmente o povo não aprende... e os estrangeiros sabem muito disso e tiram proveito... é praxe, vencer aqui e depois gritar " I love Brazil", nossa, será que ama mesmo?

Eu desconfio na hora, pois é muito fácil dizer que ama o Brasil de longe, numa viagem, com data para voltar, sem compartilhar de sua rotina complexa, de seu cotidiano estressante, de sua violência crônica, de sua desigualdade cruel...qualquer um diz que ama o Brasil estando hospedado em um hotel cinco estrelas e cercado de seguranças, mas que ninguém se iluda, na hora crucial o estrangeiro correrá e dará a vida por sua pátria, não pelo Brasil... e principalmente se esse estrangeiro for dos Estados Unidos...

Eu vi mais sinceridade, nas palavras da desafiante, que disse, "sei que muitos não gostam de mim, mas estarei lutando por todos os brasileiros..." é claro que ela também queria a glória pessoal e derrotar a americana seria um feito histórico, porém só sendo um brasileiro de verdade, sabendo das dificuldades, vivendo na terra que muitas vezes é tão cruel com seus próprios filhos, é que se pode verdadeiramente dizer " Eu amo o Brasil..."

O povo brasileiro deveria, com tantas quedas, aprender a ver que o Brasil é como uma família problemática, cheia de conflitos e que de repente recebe aquele visitante carinhoso, meigo e cheio de amor para dar, mas que na hora dos problemas vai embora e quem fica para acudir... a família complicada... mas ainda somos um povo de autoestima baixíssima, nos desvalorizamos e quem se desvaloriza, quem não se ama, se ilude com qualquer sorriso, somos ainda facilmente muito iludíveis, sempre!