8 de outubro de 2015

STF autoriza investigação por corrupção e lavagem de dinheiro contra Agripino


O senador potiguar José Agripino Maia, presidente nacional do DEM, será investigado pela suspeita de ter cometido os crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. A investigação foi autorizada nesta quarta-feira, 7, pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, atendendo a pedido da Procuradoria Geral da República (PGR). Agripino é acusado de receber propina da empreiteira OAS nas obras da construção do Estádio Arena das Dunas para a Copa do Mundo de 2014.

As suspeitas contra o senador surgiram em depoimentos de investigados na Operação Lava Jato, mas o caso, segundo a PGR, não tem relação com os fatos envolvendo a Petrobras. Por isso, o inquérito não foi remetido ao ministro Teori Zavascki, relator no STF da investigação comandada pelo juiz Sérgio Moro.

O deputado estadual Fernando Mineiro (PT) comentou a abertura do processo contra Agripino. Ele ressaltou que, “ao contrário do que o senador faz quando os acusados são petistas, condenando-os antes do término da ação, vejo que essa é uma oportunidade para ele apresentar sua defesa”.

“Ao final das investigações, se ele não tiver cometido irregularidades, que seja inocentado; se culpado, que seja condenado, como deve ser com qualquer pessoa alvo de julgamento”, acrescentou.

O senador Agripino Maia já é investigado desde março perante o STF por suspeita de ter cobrado propina de R$ 1 milhão para permitir um esquema de corrupção no serviço de inspeção veicular do Rio Grande do Norte. O parlamentar foi citado em delação premiada de um empresário do Estado. O caso está sob relatoria da ministra Cármen Lúcia e tramita em segredo de justiça no Tribunal.

*Com informações da Agência Brasil.