13 de novembro de 2015

MARIANA: Samarco-Vale cometeu um dos maiores crimes socioambientais do Brasil

Créditos: Caio Santos
O Ministério Público de Minas Gerais afirmou que o ROMPIMENTO DAS BARRAGENS em Mariana NÃO FOI ACIDENTE. O rompimento foi resultado de ERRO NA OPERAÇÃO E NEGLIGÊNCIA NO MONITORAMENTO.

DOCUMENTOS DA PROMOTORIA mostram que havia RISCO DE ROMPIMENTO das barragens. O governo de Minas Gerais SUSPENDEU AS ATIVIDADES DA SAMARCO em Mariana. A mineradora só poderá desenvolver AÇÕES EMERGENCIAIS.

A lama das barragens é composta de REJEITOS DE MINÉRIO DE FERRO porém, pode conter porções de metais como ARSÊNIO, ZINCO, COBRE, ANTIMÔNIO E ATÉ MERCÚRIO... Além de reagentes químicos como SODA CÁUSTICA.

A enxurrada de lama ATINGIU O RIO DOCE, afetando o ABASTECIMENTO DE ÁGUA de pelo menos 500 MIL PESSOAS. A lama já viajou mais de 500 KM ao longo do Rio e já atinge cidades DO ESPÍRITO SANTO. A grande quantidade de DETRITOS na água impossibilita o tratamento para CONSUMO HUMANO. A lama está matando PEIXES E ANIMAIS AQUÁTICOS.

Os rejeitos vão atingir o CORREDOR CENTRAL DA MATA ATLÂNTICA, área de CONSERVAÇÃO AMBIENTAL com grande biodiversidade. A ENXURRADA IRÁ CHEGAR AO MAR no povoado de REGÊNCIA, Espírito Santo. Ambientalistas acreditam que pode demorar até 100 ANOS para que os REJEITOS SEJAM ELIMINADOS DO MAR.

Mais imagens: revistaISTOE/videos