19 de novembro de 2015

O prefeito de Macaíba está querendo plagiar o trabalho de Kátia Sena

Política e Poder por Jefferson Lázaro

 A rapidez com a qual as câmeras de monitoramento foram instaladas - apenas um mês após a realização da última audiência pública - não apenas surpreende, como também comprova que faltava, apenas, vontade política do prefeito para a efetivação do projeto.

Há mais de dois anos que a vereadora Kátia Sena, com o apoio do vereador Edvaldo Emídio, estava lutando por melhorias na segurança pública da cidade. Enquanto isso, o que o prefeito e demais vereadores de sua base aliada estavam fazendo?

Para não dizer que eles nada fizeram, todo esse tempo eles estavam tentando, de todas formas, atrapalhar (leia-se boicotar) o trabalho de Kátia Sena, inclusive sendo contra a implantação do projeto.

A verdade é que os Cunhas nunca se interessaram pela instalação das câmeras na cidade. Então, porque desse interesse repentino agora?

Por três motivos:

1- Por que estamos, praticamente, em ano de campanha eleitoral. Tudo que poderia ser feito nesses três anos será feito agora, porque é ano de eleição;

2- Por que a CDL de Macaíba iria arcar com as despesas do projeto e isso ficaria feio para o prefeito;

3- Por que, segundo Kátia Sena, os irmãos Cunhas querem usar as câmeras de monitoramento para aplicarem multas de trânsito e arrecadarem dinheiro extra para a Prefeitura.

Lembro-me bem da atitude de deboche de Sergio Cunha na audiência pública do mês passado quando a vereadora, Kátia Sena, propôs doar R$10 mil, quantia equivalente ao seu salário, para que o projeto saísse do papel o mais rápido possível. Ao ouvir isso, Sérgio Cunha debochou da proposta da vereadora, dizendo que se ela quisesse investir em segurança pública, começasse por doar esse dinheiro à Polícia Militar para o conserto de algumas viaturas que estavam quebradas, pois o projeto de instalação das câmeras demoraria, naturalmente, alguns meses.

Entretanto, apenas um mês depois do ocorrido, fomos surpreendidos com a notícia de que as câmeras já estavam sendo implantadas. Para a surpresa de todos, totalmente custeada com dinheiro da Prefeitura e sem a operacionalização do CIOSP. 

Diante desses fatos, façamos as seguintes perguntas:

1- De onde foi que tão rapidamente apareceu tanto dinheiro?

2- Por que será a Prefeitura de Macaíba e não o CIOSP que irá operar o sistema?

3- Isso tem a ver com o uso das câmeras de monitoramento para aplicar multas de trânsito nos cidadãos?

Essas perguntas devem ser esclarecidas à população, pois o serviço deve visar à segurança do povo e não fins eleitoreiros ou, pior, aplicações de multas de trânsito. 

Justiça seja feita, essas câmeras só estão sendo instaladas, porque o prefeito está sendo, praticamente, obrigado a isso. Ou ele instalava as câmeras ou a CDL iria instalar.

Se há uma pessoa responsável por tudo isso, chama-se Kátia Sena. Toda luta e empenho para que as câmeras fossem instaladas é dela. Foi ela que levantou essa bandeira desde 2013. Ela é a grande responsável por tudo. 

Se hoje alguma câmera está sendo instalada na cidade, devemos isso ao trabalho incansável dessa vereadora. Claro que quem executa o projeto é a Prefeitura. É assim que a lei determina. No entanto, se não fosse pela luta incansável de Kátia Sena, nenhuma câmera de monitoramento seria instalada no município. 

O pior de tudo é que agora, na maior cara de pau, o prefeito está dizendo que o projeto é da Prefeitura. Isso não passa de uma grande mentira. Ao dizer isso, não apenas o prefeito está sendo desonesto com a população, mas também mostrando que, da sua parte, não há interesse algum pelo bem do povo, mas, apenas, politicagem e demagogia.

Tentar plagiar o trabalho alheio é o fim do poço para Fernando Cunha.