11 de novembro de 2015

Tem gente em Macaíba precisando estudar a Constituição, disse Ligia Silva

Essa frase foi dita pela colunista de questões de gênero e racismo do Cidadão Macaibense, Ligia Silva, em publicação feita no grupo Macaíba-Rio Grande do Norte. Ligia colocou em xeque o tipo de "conhecimento político" que as "pessoas" de Macaíba têm.

"É verdade que quem pede melhorias na cidade quer se candidatar a vereador? Não sabia que fazer meu papel de cidadão era isso, daí você tira o conhecimento político das pessoas", questionou Ligia.

A critica de Ligia diz respeito ao texto "Cada um e seu interesse", publicado, no último dia 06, pelo Blog Macaíba no Ar.

O texto do blog, transcrito de forma literal, diz o seguinte:

"Os que gostam de denunciar os problemas, não está denunciado porque está cansado de ver uma rua cheia de buracos ou um prédio público inacabado, existe um interesse por trás quando as palavras ditas por estes indivíduos se repetem sistematicamente. É o interesse de ter um mandato, é o interesse de ocupar o espaço daqueles que eles tanto criticam."

Se isso for verdade, haja candidato a prefeito e a vereador em Macaíba. Principalmente a prefeito, pois o desejo de todo cidadão é ser prefeito. 

Nesse sentido, qual o cidadão que nunca disse as seguintes frases:

Se eu fosse prefeito, eu faria... 

Se eu fosse vereador, eu faria...

Se eu fosse governador, eu faria...

Se eu fosse deputado, senador, presidente, eu faria... 

Na verdade, todo cidadão sonha em ser desde um simples vereador até um presidente da República. Esse desejo se realiza quando ele diz, legitimamente, o que ele faria se estivesse no lugar dos políticos. 

Há algo errado nisso? Evidente que não.

Só quem pode pensar dessa forma são aquelas pessoas que não pretendem, um dia, serem candidatos a cargos públicos? 

Também não. Todos, independente se desejam ou não serem candidatos, tem o direito e o dever de se pronunciar sobre as questões públicas. Entenda-se, a Política diz respeito àquilo que é do interesse de todos, ou seja, a tudo que for público.

Dessa forma, qual o problema de um cidadão expressar suas opiniões e criticas a atual administração do prefeito Fernando Cunha? 

Criticar, por exemplo, o salário de R$22 mil que ele ganha, bem como os salários de R$10 mil dos vereadores e secretários municipais, é querer ocupar o lugar deles? 

De forma alguma.

Mas, devo dizer, o blogueiro tem razão: há pessoas que criticam os que hoje estão no poder, mas só estão querendo ocupar os lugar deles. Dessa forma, a crítica dessas pessoas, na verdade, não passam de demagogia e hipocrisia.

No entanto, o blogueiro escorrega nas palavras ao associar "o direito constitucional de poder se candidatar a qualquer cargo público" com "interesses escusos e demagógicos". Isto é, o fato de um indivíduo ser pré-candidato, ou de ter o desejo futuro de se candidatar, não significa que esse indivíduo tenha de ficar calado diante das questões públicas, mesmo não tendo boas intenções. A democracia é um sistema de governo que deve servir a todos, aos homens bons e aos ruins, aos canalhas e cavalheiros.

Entendam: em sistemas democráticos de governo, como é caso do Brasil, os direitos civis precedem os direitos políticos. 

Dito de outra forma, antes de exercermos um cargo público eletivo, ou de termos o simples desejo de exercê-lo, somos todos cidadãos. Isto é, independente da índole, errados ou não, todos tem o direito de se expressar. 

Outro dia, Ligia escreveu um texto belíssimo, intitulado "SIM! O POVO PODE SER O QUE QUISER", sobre este assunto. 

Nesse texto, ao falar sobre as discussões fervorosas pelas redes sociais, que o surgimento da internet possibilitou, Ligia diz o seguinte: 

"(...) se existe uma coisa que assusta e faz tremer qualquer governo é uma palavra chamada democracia, claro, muitos olhares, muitos blogs, muitas opiniões, muito discurso de ódio também e uma pseudo superioridade de que cidadãos comuns não podem expressar sua autonomia política.

Isso só demonstra que apesar da democracia e toda a liberdade que é oferecida pela internet, ainda existe bastante preconceito por uma parte, digamos assim, letrada e com diplomas. Se é uma coisa que o povo pode ser, é ser o que quiser, cientista político, presidente, médico, professor etc mas pra muita gente que se diz entendida, o povo tem que ser babaca mesmo e omisso."

Confrontando as palavras escritas por Ligia e pelo blogueiro, façamos a seguinte pergunta:

Aqueles que desejam se candidatar a vereador ou a qualquer outro cargo público eletivo devem ficar calados e omissos perante as questões públicas de nossa cidade?

Pelo o que disse o blogueiro, sim!

Ligia tem razão, o blogueiro está precisando estudar a Constituição Federal.

Confiram, abaixo, a foto com a íntegra da publicação da colunista.


Texto - Jefferson Lázaro
Colunista de política do Cidadão Macaibense