17 de dezembro de 2015

Questão de Honra

Política e Poder - por Jefferson Lázaro
jeffersonlazaro@hotmail.com

Gostaria de iniciar este artigo com a seguinte pergunta:

O que as vaias ao prefeito de Macaíba têm a nos dizer?

Bem, longe da dúvida se as vaias foram ou não para o médico, pois isso para mim já ficou claro que, sim, as vaias foram para ele, gostaria de dizer que a resposta para a pergunta acima não é tão fácil como parece.

Para quem não apoia o Cunhão, isto é, a forma Cunha de governar, certamente a saraiva de vaias ocorrida na última terça-feira (15), no ginásio municipal de Macaíba, não pode ter sido para outra pessoa a não ser para médico de Macaíba.

Por outro lado, os que desde 2013 deixaram de andar à pé, ou de bicicleta, para andar de carro do ano, porque ganharam o excelente cargo comissionado na prefeitura, irão dizer que as vaias não foram para o médico, mas para o time adversário, para o curupira, para a mula sem cabeça, para o saci pererê, etc. vão dizer de tudo, menos, é claro, que as vaias foram para o "doutor".

Há quem diga ainda que pouco importa se as vaias foram para Fernando ou não, pois isso não irá melhorar nem piorar a vida delas.

Entretanto, diante de todas as respostas possíveis, haja vista à grande quantidade de pessoas que testemunharam o ocorrido, pois o ginásio estava lotado, não restam dúvidas que as vaias foram, sim, para o médico.

E o prefeito que se prepare, pois tudo indica que as vaias estão só começando.

O povo não aprova mais o Cunhão, ou seja, a forma Cunha de governar.

Quem em Macaíba, por apenas discordar do prefeito, nunca foi perseguido?

Lembremos o que fizeram comigo!

Só porque eu tenho o espaço semanal para dá a minha opinião sobre a política de Macaíba neste blog, o que foi que eles fizeram comigo? Eles me difamaram, caluniaram, levantaram injúrias contra minha pessoa. Tudo isso por quê? Porque eu discordo da administração do prefeito.

Mas quem sou eu diante do médico?

Quem é Jefferson Lázaro diante do todo poderoso prefeito de Macaíba?

O que poderia ter levado um prefeito milionário, médico, em seu terceiro mandato, com o apoio do governador, a frente da quinta maior cidade do estado e com milhares de cargos comissionados nas mãos a atacar um estudante universitário, humilde, desempregado, que escreve uma vez por semana artigos de opinião para um blog modesto da cidade? O que fez Fernando Cunha mandar os seus jagunços (Lindoarte e outros) me atacarem de forma tão suja e repugnante?

Só há uma resposta para isso: Poder.

Prestes a completar 16 anos comandando o processo sucessório na política de Macaíba, porque foi ele quem elegeu a ex-prefeita Marília Dias, Fernando Cunha está viciado no poder. Ele e seu irmão, Sergio Cunha, são capazes de tudo para permanecerem onde estão.

A política é feita de ciclos. Certamente, as vaias ao médico de Macaíba significaram o início do fim do ciclo político comandado por Fernando e Sergio Cunha.

Acabou.

Está na hora de mudar. Está na hora dos macaibenses RESGATAREM a autoestima de sua cidade. Esse é momento do sentimento de macaibanidade falar mais alto.

Vamos acordar!

Nossa cidade está nas mãos de forasteiros.

O médico não será derrotado pelo político A ou B, mas pelo povo.

É o povo quem deverá derrotá-lo.

Como sempre digo: a maior oposição ao médico é o povo.

Foi esse povo que vaiou o médico terça-feira.

É por isso que eles estão calados, porque sabem que as vaias foram para o médico.

Queria eu estar presente no ginásio para vaiá-lo também.

Queria eu, no dia 02 de outubro de 2016, dia das eleições, comemorar a vitória de um macaibense como prefeito da cidade.

É uma questão de honra.

Derrotar Fernando Cunha é uma questão de honra.

Vamos à luta!