8 de fevereiro de 2016

A repórter do povo, Ceiça Lima, entrevista o carnavalesco Nerivaldo Monteiro

No estúdio da CONNECTTVCeiça Lima, repórter do povo, recebeu o carnavalesco macaibense, Nerivaldo Monteiro, de 51 anos. Além de fundador e presidente da escola de samba Ferro e Aço, Nerivaldo é o atual presidente da Associação Carnavalesca de Macaíba, fundada em 1998, com o objetivo de resgatar o carnaval macaibense. 

Dentre outras coisas, Nerivaldo falou sobre a história da escola de samba Ferro e Aço, fundada em 1992, e sobre a dura realidade daqueles que insistem em fazer carnaval na cidade. Pensando nisso, o carnavalesco faz a seguinte pergunta: 

"O que é que leva o poder público a não apoiar as entidades culturais do município?"

Em seguida, desabafa: 

"É muito difícil. Para quem faz carnaval em Macaíba, é difícil. O pessoal acha que fazer obras é importante, mais importante do que dar apoio a carnaval, porque carnaval é uma festa do mundo", disse Nerivaldo. "Mas", acrescenta o carnavalesco, "eu tenho uma experiência desde que comecei no carnaval. É o seguinte: 

No último carnaval de Macaíba tinha 20 mil pessoas na rua. Desfilaram oito escolas de samba e tinha 20 mil pessoas na rua. O cachorro quente vendia, o pipoqueiro vendia, o comércio vendia, movimentava a cidade, vinha gente de fora e a violência era muito menor. Era uma época de ouro do município de Macaíba. Infelizmente, nós tentamos resgatar, mas sempre esbarramos na questão do Ministério Público. Eu acho assim: o problema não está aí. O problema está além do Ministério Público. As vezes, eu fico triste e tenho vontade de fazer carnaval em outro município, porque, em Macaíba, para nós que fazemos cultura, a situação difícil", concluiu Nerivaldo.

Além da Ferro e Aço, este ano, haverá outra escola de samba macaibense participando do Grupo A do carnaval de Natal, a escola de samba Unidos de Santa Cruz.

Abaixo, confira a integra da entrevista com Nerivaldo Monteiro:

______________________

Vejam também: