7 de março de 2016

Sou brasileira e não desisto nunca

Por Kátia Sena*

Na última sessão, coloquei uma Moção de Repúdio em relação à Educação do nosso município, assinada, apenas, por mim e pelo vereador Edvaldo Emídio. A moção foi lida em Plenário, mas retirada da pauta antes da votação. O lamentável foi a forma desrespeitosa e impositiva que a mesa diretora da Casa agiu ao retirar a moção sem que eu fosse, pelo menos, comunicada. 

Para piorar a situação, dois requerimentos que coloquei na ordem do dia – um solicitando ao Executivo o envio da Licitação da Merenda Escolar e outro informações sobre os professores que entraram na seleção de 2013 –, além de explicações sobre algumas demissões e algumas trocas de professores após o início deste ano letivo, também foram retirados da pauta sem a votação e sem comunicarem à minha pessoa.

Assim, ao desrespeitarem as minhas prerrogativas como vereadora, a "situação" está mostrando para a "oposição" e para o povo de Macaíba quem é que manda, estão passando, literalmente, por cima da lei. Mas, apesar disso, vamos à luta, pois sou brasileira e não desisto nunca. 

A cada humilhação, sinto-me exaltada por Deus. Eles são maioria. No entanto, uma hora ou outra irão aprender que a ditadura acabou.

Outro ponto em debate foi a luta e união dos agentes de saúde e endemias.

Em que pese a tentativa da situação de passar a imagem de um executivo bonzinho, que valoriza os trabalhadores da dessa categoria, eis a verdadeira versão dos fatos:

Na sessão em comento foi votado, sim, melhorias para os agentes de saúde e endemias. Contudo, devo parabenizar a luta e a união dessa categoria, pois eles sempre foram incentivados pelo o seu atuante sindicato.

Dito isso, façamos as seguintes considerações:

Votamos um projeto que inclui à categoria no próximo concurso público. Mas tivéssemos um Executivo comprometido e preocupado com os agentes de saúde e endemias, essas vagas estariam previstas no Projeto de Lei 1.781/2015, que autorizou o concurso público, ao invés de ser incluído agora, após toda pressão e luta por parte dos agentes de saúde e endemias. Por essa razão, desejo parabéns aos trabalhadores e trabalhadoras pela vitória conquistada.

Ademais, votamos também o incentivo de R$ 1.014,00, que deveria ser em sua totalidade, mas o Executivo abocanhou R$ 314,00. A pergunta que não quer calar:

Será que é porque o Executivo precisa mais desse valor do que os próprios trabalhadores? Nada custa lembrar que essa conquista foi também pauta da greve que a categoria fez em 2015.

Por fim, gostaria de fazer um comunicado aos professores e professoras do nosso município:

Vamos se unir para que possamos também conseguir melhorias para a categoria de vocês, pois a realidade da educação pública de Macaíba precisa ser mudada.

*Vereadora e advogada