6 de junho de 2018

Projeto Barriguda é premiado em competição internacional

Projeto é desenvolvido desde 2015 pelo ISD na
comunidade Quilombola de Capoeiras - Macaíba/RN.

O Projeto Barriguda, desenvolvido pelo Instituto Santos Dumont (ISD) na Comunidade Quilombola de Capoeiras, é um dos cinco vencedores da competição internacional “Projects that work” (Projetos que funcionam), promovida pela Foundation for Advancement of International Medical Education and Research (Faimer), Fundação internacional comprometida a melhorar a saúde global por meio da educação.O objetivo dessa competição é reconhecer trabalhos que tiveram sucesso além da implementação inicial e impactaram de forma positiva e significativa a saúde, a comunidade e a escola no intuito de encorajar o desenvolvimento, a implementação e a disseminação de projetos semelhantes. A premiação, que integra a Conferência anual The Network: Towards Unity for Health (The Network: TUFH), ocorrerá entre 16 e 20 de agosto, em Limerick, na Irlanda e terá o tema Empoderamento da Comunidade para a Saúde: uma abordagem multissetorial. TUFH é uma rede global de indivíduos, instituições e organizações comprometidas a melhorar a saúde das pessoas e suas comunidades.

Em 2017, o Projeto Barriguda também foi premiado, sendo uma das seis experiências brasileiras vencedoras da competição “Laboratório de Inovação sobre a Participação Social na Atenção Integral à Saúde da Mulher” organizado pela Organização Pan-americana da Saúde (OPAS/OMS) e Conselho Nacional de Saúde (CNS) – matéria AQUI.

Essa é a segunda vez que o ISD é reconhecido pela Faimer. Em 2015, foi a vez de o Projeto Arte de Nascer ser contemplado, garantindo a participação no evento de premiação realizado em Gauteng, na África do Sul – matéria AQUI.

Conheça todos os premiados na Competição “Projects that work” 2018: Click Aqui

Projeto Barriguda

Atividade com alunos de graduação da UFRN e moradores de Capoeiras.
O Projeto Barriguda é desenvolvido desde 2015 pelo ISD, por meio do Centro de Educação e Pesquisa em Saúde Anita Garibaldi (CEPS), na maior Comunidade remanescente de quilombos do Rio Grande do Norte: Capoeiras, localizada em Macaíba (RN). O Projeto recebeu esse nome das próprias gestantes da localidade, e se refere à forma como a Comunidade chama o Baobá, árvore reverenciada pela cultura quilombola como símbolo da localização dos antigos quilombos.

Ainda em 2015, foi implantado um serviço de atenção pré-natal com uma equipe multiprofissional (médico, enfermeira, fisioterapeuta, psicóloga e assistente social), que vai até a comunidade para atender as gestantes e desenvolver ações de educação em saúde por meio de tecnologias leves.

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) também é parceira do Projeto e, em 2016, foi criada uma disciplina vinculada ao Barriguda, oferecida pelo Departamento de Tocoginecologia e intitulada “Competência Cultural na Atenção à Saúde da Mulher Quilombola”. Essa é a primeira disciplina especificamente planejada para inserir o desenvolvimento da competência cultural nos currículos das profissões da saúde. Passaram por essa vivência 32 alunos de graduação da UFRN entre 2016 e o primeiro semestre de 2018.

Capoeiras é composta por cerca de 300 famílias e 1.500 habitantes, com acesso limitado a cuidados de saúde. Em 2014, a eclâmpsia atingiu 20% das mulheres gestantes e o Coeficiente de Mortalidade Materna foi de 223,0 óbitos/100.000 nascidos vivos. Desde o início da atuação do Projeto na Comunidade até abril de 2018, 61 mulheres grávidas foram assistidas pela equipe multiprofissional do CEPS e não houve mortes maternas ou casos de eclâmpsia.