14 de janeiro de 2019

Femismo e Feminismo

Por: Andrea Nogueira

Há femistas se intitulando feministas e feministas discriminadas por quem não sabe a diferença entre estas duas práticas ideológicas.

O FEMISMO prega a superioridade do gênero feminino sobre o masculino. Não busca a igualdade de oportunidades, busca estar acima de outro. Ele alimenta o ódio e o sentimento de vingança, culpando os homens pelos problemas sociais e econômicos de uma mulher.

Esta ideologia destrói a sociedade, divide as pessoas, estimula a prática da desigualdade e prega constantemente que mulheres são coitadinhas e homens são monstros. Esta ideologia não se parece em nada com o FEMINISMO a não ser pela semelhança do início da palavra escrita.

FEMI, portanto, é única parecença entre o FEMIsmo e o FEMInismo, o resto destoa completamente, afastando qualquer possibilidade de conviverem no mesmo campo conceitual. Mas a sociedade continua não compreendendo seus conceitos.

Se uma mulher gosta de pêlos nas suas axilas, não significa que é feminista. Se ela luta para que as mulheres superem os homens, definitivamente não é uma feminista. É preciso ficar atento às diferenças, que são muitas, para não acabar achando que uma mulher feminista se sentiria feliz em subjugar um homem.

Quando vemos uma mulher na televisão, por exemplo, sendo ela mesma, ocupando um espaço importante, manifestando-se livremente, apresentando aos outros a sua opinião e projetos, deve ser enxergado o feminismo natural nela, pois determinadas características são próprias de uma ideologia e mesmo que não haja uma legenda “feminista” em alguém, seus discursos e comportamento podem ser suficientes para identificar que ela acredita na igualdade e não na superioridade entre homem e mulher.

É mais do que saudável uma mulher ser feminista, mas não é salutar ser femista. Descobrindo-se assim (femista), a mulher deve procurar ajuda médica profissional antes que fira outras pessoas com seus comportamentos destrutivos.

É preciso voltar nossa atenção para a igualdade e não para o sexismo que infelizmente prevalece em muitos discursos atuais.

E estando numa época de valorização dos títulos sobre os textos, onde muitas pessoas leem apenas um preâmbulo e já começam a formar conceitos por conta própria, ainda mais vigilantes devem ser com relação à manifestação de opinião sobre algo.

Assim também ocorre quando observam uma mulher falando sobre “direitos e oportunidades”.

Sendo mulher, e com estes temas, já julgam que se trata de uma feminista, mas o seu discurso pode estar recheado de ódio dos homens, e sendo assim estará completamente afastada de uma ideologia de igualdade.

O femismo disfarçado de feminismo afasta não só os homens que estão dispostos a ajudar, mas também mulheres, que tomam antipatia por discursos e mais discursos revestidos apenas de ódio.

A sociedade, de um modo geral, ainda não está conseguindo fazer essa distinção, salvo exceções. E o resultado de toda interpretação mal feita ou equivocada é o acúmulo de opiniões destorcidas sobre o que não se conhece. FEMIsmo é algo abominável. FEMInismo é o que há de mais natural em toda mulher.

Quando uma mulher não se enxerga feminista ou resiste a afirmar esta ideologia certamente não conhece bem o seu conceito, confundindo-o com o Femismo. O vitimismo e o ódio são próprios do Femismo, que deve ser combatido.

Já o Feminismo permite à mulher ser o que ela quiser: pode ser profissional independente ou uma mulher do lar, pode ser uma trabalhadora braçal ou uma delicada senhorita. O feminismo liberta a mulher e o homem de uma cultura de superioridade de um sobre o outro, para que ambos possam viver a liberdade juntos.

Via Potiguar Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tenha consciência do que você vai comentar.