29 de junho de 2019

Prisão de militar com cocaína racha a oposição no Congresso

Montagem; Age. Câmara e Age. Brasil

Congresso em Foco: A prisão de um militar com 39 quilos de cocaína em avião de apoio ao voo presidencial dividiu a oposição no Congresso. Há quem defenda cautela na associação do nome do presidente Jair Bolsonaro ao episódio, como o deputado Marcelo Freixo (Psol-RJ), e quem exija a presença do ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, a exemplo do líder da oposição no Senado, Randolfe Rodrigues, e da presidente do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR).

Grande crítico de Bolsonaro, Freixo surpreendeu até os aliados do governo ao chamar de “leviana” a estratégia de parte da oposição de associar o presidente ao episódio. Segundo ele, esse seria o comportamento de Bolsonaro caso a droga tivesse sido apreendida em um avião de apoio ao transporte de ex-presidentes como Dilma, Lula e Fernando Henrique Cardoso - seus desafetos declarados.

Se os 39kg de cocaína fossem encontrados em aviões presidenciais de Dilma, Lula ou FHC, como Bolsonaro reagiria? Nós não podemos ser levianos. O episódio é muito grave e precisa ser esclarecido, mas pode ser um caso isolado e não é possível responsabilizar o presidente”, afirmou Freixo pelas redes sociais.

Matéria na íntegra: congressoemfoco.uol.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tenha consciência do que você vai comentar.