11 de outubro de 2019

Irmã Dulce será canonizada no próximo domingo (13) e será a primeira santa nascida no Brasil

Foto: Acervo Memorial Irmã Dulce

No próximo domingo (13), o Papa Francisco canonizará cinco beatos, incluindo o Cardeal John Henry Newman, um sacerdote convertido do Anglicanismo, e a beata brasileira Dulce Lopes Pontes "Irmã Dulce". 

A Arquidiocese de Salvador (BA) apresentou o relicário que será entregue ao Papa Francisco no dia 13 de outubro, no Vaticano, durante a cerimônia de canonização de Irmã Dulce dos Pobres.

O relicário conterá um fragmento ósseo da costela da religiosa, que será a primeira santa nascida no Brasil. A peça é composta por uma pedra ametista em formato de coração e ficará guardada na Capela das Relíquias, no Vaticano. saiba mais click aqui

Irmã Dulce Lopes Pontes (“anjo bom da Bahia” )

Maria Rita Lopes Pontes nasceu em 1914, tinha seis anos quando a mãe morreu e, aos 18, ingressou na Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição da Mãe de Deus, onde passou a se chamar Dulce. Fundou a União dos Trabalhadores de São Francisco, um movimento operário cristão na Bahia, e o hospital Santo Antônio. Faleceu em 1992 por sua saúde debilitada.

O milagre de sua beatificação ocorreu em 2001, quando Claudia Cristina dos Santos, hoje com 42 anos, apresentou uma hemorragia incontrolável depois do parto. Após três intervenções, os médicos perderam a esperança, mas sua família decidiu pedir a intercessão da beata e o sangramento parou imediatamente.

O segundo milagre que a levará à canonização é a cura milagrosa de José Maurício Bragança Moreira, que estava cego devido a um glaucoma grave. Um dia, enquanto sofria de conjuntivite, colocou uma pequena estátua da religiosa sobre o olho, pedindo sua intercessão. Quando ele acordou, descobriu que podia ver novamente.

Fonte: Acidigital

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tenha consciência do que você vai comentar.