9 de fevereiro de 2020

Conheça a história da primeira-dama do Brasil que foi jogadora de futebol

Centro Esportivo Natalense — Foto: Instituto Tavares de Lyra
Por Gabriela Moreira e Gabriela Rossi — Rio de Janeiro

Em fim de semana de estreia do Campeonato Brasileiro Feminino, lembrar o início da história da modalidade é inevitável. O livro "Todas as mulheres dos presidentes", de Ciça Guedes e Murilo Fiuza, conta a história das 34 primeiras-damas do Brasil desde o início da República. Entre elas está Jandira Carvalho, esposa de Café Filho e... jogadora de futebol.

Os dois se conheceram em 1919 quando o ex-presidente era goleiro profissional do Alecrim Futebol Clube, do Rio Grande do Norte. Na época, Café Filho procurou o extinto Centro Esportivo Natalense com o desejo de criar um time de futebol feminino amador. O time, o primeiro feminino do estado, foi criado e Jandira era a volante da equipe. Doze anos depois, ela e Café se casaram.

- Na época não houve reação negativa porque se praticava o futebol feminino. Inicialmente não parecia haver uma forte oposição até porque o Café Filho não era um grande revolucionário. A medida que o esporte ganhou popularidade as autoridades começaram a se atentar -, comentou Ciça Guedes.

A autora chamou atenção para um denominador comum entre todas as 34 esposas dos presidentes: apenas uma delas exercia uma profissão além da política. Ainda no início do namoro, tanto Jandira quanto Café Filho abandonaram o futebol.

- A mulher naquela sociedade era pra casar, ter filhos e cuidar do lar e ponto. Agora você imagina uma futebolista? - questionou a autora.

Mas um fato controverso chama atenção na história dos dois. O primeiro passo de Café Filho rumo à presidência da república foi se tornar vice-presidente de Getúlio Vargas. Os dois tinham posições políticas diferentes, mas, naquela época, as votações para presidente e vice eram separadas. Apesar disso, foi no governo Vargas, em 1941, que o Decreto-Lei 3.199 foi assinado.

O artigo 54 dizia que: "às mulheres não se permitirá a prática de desportos incompatíveis com as condições de sua natureza", sendo assim, a prática do futebol feminino foi proibida durante o governo do presidente do qual Café Filho seria vice. Justo ele, que criara o primeiro time feminino do Rio Grande do Norte.

Mesmo com a proibição, o futebol feminino ainda resistiu às escondidas e com algumas pontuais partidas beneficentes. Com a chegada da ditadura militar em 1964 a proibição foi mais severa e a prática só foi liberada novamente em 1983, um ano antes da morte de Jandira. Apesar de ter aberto mão do futebol para viver a vida política, a ex-primeira-dama só se foi depois de ver sua paixão livre novamente.

Fonte: Blog da Gabriela Moreira / via globoesporte.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tenha consciência do que você vai comentar.